Atletas do Handebol feminino de São Carlos são chamadas pela Confederação Brasileira da modalidade

Fernanda Businaro e Isabela Botelho se apresentam dia 10 de dezembro em São Bernardo do Campo

 

Para um atleta, seja na modalidade que for, será que existe um sonho maior do que fazer parte da seleção nacional?  Duas jogadoras de São Carlos que defenderam a cidade e disputaram o Handebol feminino Sub-20 (1ª Divisão) nos 82º Jogos Abertos do Interior, estão vivendo momentos de expectativa embaladas nesse caminho: Fernanda Businaro (dir. na imagem acima), de 18 anos, e Isabela Botelho (esq. na imagem acima), de 17, as duas da equipe do técnico Antônio Carlos Rodrigues da Costa, o Tonho, acabam de ser convocadas para um acampamento nacional promovido pela Confederação Brasileira de Handebol, uma espécie de ‘peneira’ entre os melhores atletas da modalidade em todo o Brasil. Esses acampamentos são regionais (geralmente por grupos de Estados) e nacionais, porém as duas ‘pularam’ a primeira fase graças às competências técnicas que têm.

Apresentação na CBH – Fernanda e Isabela, agora, precisam se apresentar no próximo dia 10 de dezembro, no Centro de Rendimento da Confederação, em São Bernardo do Campo, para um período de observação mais detalhada dentro da categoria juvenil, de 16 a 18 anos. “Receber essa notícia, dentro desse ambiente dos Jogos Abertos e, em casa, é gratificante demais. Um momento de alegria e de reconhecimento de que todo o esforço até aqui. Valeu muito à pena”, disse, emocionada, Fernanda Businaro, que estuda Pedagogia na Unesp em Araraquara.

Já Isabela Botelho falou que ela e a equipe estavam muito tristes porque foram eliminadas na noite de ontem 22 (derrota por 16 a 14 a favor de Ribeirão Preto) pelos Jogos Abertos, mas que esse ‘chamamento’ da Confederação diminuiu um pouco a frustração individual e coletiva. “Foi surpreendente, claro! Não significa que iremos integrar a seleção brasileira de fato, mas somente a oportunidade de ser vista e lembrada já tem o seu mérito. Uma chance que vou tentar agarrar com unhas e dentes, assim como a Fernanda, tenho certeza”, destacou Isabela, que cursa o terceiro ano do Ensino Médio.

O técnico Tonho (imagem ao lado, entra as atletas), por sua vez, comentou que a surpresa foi grande e que, em primeiro lugar, precisa agradecer a Secretaria Municipal de Esportes e a Prefeitura de São Carlos, além dos diversos apoiadores desse projeto que começou há três anos: “Aqui, e em qualquer lugar, sem incentivo e apoio público e privado, não falo apenas em dinheiro, mas também em condições de espaços para treinar, planejar e executar o trabalho nas bases, dificilmente é possível superar as adversidade e conquistar situações como as que estamos vivendo nesse momento. Fernanda e Isabela, claro, estão de parabéns. Mas eles precisam também ser estendido a todos que ajudaram a construir essa história”.

Orgulho em casa –  As mães das meninas (imagem abaixo, com as filhas), Silvana Pagotto Businaro e Jandira Soares Botelho, que acompanham parte da jornada das filhas, igualmente eram pura emoção na manhã desta sexta-feira (23). “Sempre foi o sonho dela, sempre apoiamos e ajudamos no que foi é possível, por isso, assim como ela, estamos felizes demais”, comemorou Silvana, mãe de Fernanda. “O que mais podemos querer a não ser a felicidade delas! Que esse sonho consiga ser realidade para elas e para tantas outras meninas e meninos que buscam isso no dia a dia”, disse Jandira, mãe de Isabela.

Pelas redes sociais, o secretário Municipal de Esportes de São Carlos, Edson Ferraz, postou uma mensagem na qual parabeniza as atletas e o técnico, e desejou sucesso aos três. Pessoalmente, falou que “esse episódio é uma prova de que quando há determinação e retaguarda do poder público e da iniciativa privada, todo o conjunto alcança a vitória. Uma notícia dessas em pleno andamento dos Jogos Abertos, enche de orgulho atletas, técnicos, dirigentes e toda a família envolvida no desporto”.

Mais do que ouro, prata ou bronze, Fernanda e Isabela, com certeza, receberam nesses Jogos Abertos um reconhecimento que vai além do pódio. Aquele que é endereçado aos que têm garra, perseverança, entusiasmo, esforço e paixão. Para usar o vocabulário do Handebol, seja o arremesso que for (com apoio, em suspensão, com queda ou rolamento), Fernanda e Isabela já mandaram a bola na direção do gol.

 

ÁUDIOS (rádios)

 

Isabela Botelho, atleta da equipe feminina de Handebol Sub-20 (1ª Divisão) de São Carlos

 

Fernanda Businaro, atleta da equipe feminina de Handebol Sub-20 (1ª Divisão) de São Carlos

 

Antônio Carlos Rodrigues da Costa, o Tonho, técnico da equipe feminina de Handebol Sub-20 (1ª Divisão) de São Carlos

 

 

 

Opt-out-cookie abgelegt, was zur folge hat, dass piwik ghostwriting upwork keinerlei sitzungsdaten erhebt knstlerische findungsprozesse der theaterpdagogik.

Fotos